Conjuntivite em pauta

- Cadastrada em: 11/04/2019, Elaine de Sousa, ACI-Famesp

Olhos vermelhos, coceira e irritação. Juntos, esses sintomas fecham o diagnóstico de conjuntivite? E, afinal, como contraímos essa doença? É contagiosa? Quanto tempo duram seus sintomas? Para responder essas e outras dúvidas, conversamos com médico oftalmologista Thiago Gonçalves Paula, coordenador do Ambulatório de Oftalmologia do Hospital de Base de Bauru. Confira. 

1. Quais os tipos de conjuntivite existentes e suas causas? 
Thiago Gonçalves Paula - A conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente que recobre a parte branca do olho e região interna das pálpebras. Pode ser de causa infecciosa (viral, bacteriana, herpes...), alérgica (poluentes ou substancias irritantes) ou química. Geralmente afeta ambos os olhos, mas pode se manifestar apenas em um olho.

 2. Quais os principais sintomas?
Thiago Gonçalves Paula - Entre os principais sintomas estão os olhos vermelhos e lacrimejantes, sensação de areia, secreção purulenta (conjuntivite bacteriana) ou esbranquiçada (conjuntivite viral), coceira, pálpebras grudadas ou inchadas. 

3. A conjuntivite é contagiosa?
Thiago Gonçalves Paula - A conjuntivite infecciosa é altamente contagiosa, como, por exemplo, a viral ou bacteriana.

4. Como se transmite?
Thiago Gonçalves Paula - O contágio se dá principalmente pelo contato, porém um simples resfriado ou gripe pode evoluir para conjuntivite. Para evitar o contágio é preciso higienizar as mãos com frequência, não coçar os olhos, não compartilhar produtos de beleza (como rímel, esponjas, delineadores). 

5. Quanto tempo duram os sintomas?
Thiago Gonçalves Paula - Em geral, as conjuntivites duram cerca de 7 a 10 dias, podendo estender esse período dependendo da gravidade e do tipo de contaminação. 

 6. Se a pessoa com conjuntivite usar óculos escuros no ambiente de trabalho ou na escola evita-se a transmissão?
Thiago Gonçalves Paula - O uso de óculos escuros não evita a transmissão da doença, uma vez que a principal maneira de contágio se dá pelo contato, como, por exemplo, o ato de coçar os olhos ou compartilhar de produtos que tenham contato com os olhos.

 7. O uso de lentes de contato pode piorar o quadro de conjuntivite? 
Thiago Gonçalves Paula - Sim. As infecções em usuários de lentes de contato geralmente são mais agressivas, necessitando, muitas vezes, de um tratamento mais longo e com colírios mais fortes. Em algumas ocasiões, chegam a formar até ulceras na córnea.

8. O quadro clínico é resolvido por conta própria ou exige-se tratamento médico? 
Thiago Gonçalves Paula - Geralmente as conjuntivites são auto-limitadas, ou seja, tratamos mais os sintomas do paciente, principalmente nas conjuntivites virais. Porém, algumas infecções necessitam de tratamento mais agressivo. Por esse motivo, sempre procure um médico especialista para o tratamento adequado.

9. A conjuntivite alérgica tem alguma recomendação específica?
Thiago Gonçalves Paula - A conjuntivite alérgica está muito relacionada  com a atopia do paciente, ou seja, muito constante em pacientes com rinites e alergias em geral. Pode apresentar sintomas intermitentes (duração de horas) ou perenes (duração de dias/meses).  Pacientes alérgicos, em geral, necessitam sempre evitar ambientes com muito pó e poeira, pelo de animais, ou produtos/alimentos que a pessoa já sabe que causam alergia.

10. E a conjuntivite bacteriana? 
Thiago Gonçalves Paula - A maioria das conjuntivites são virais. A conjuntivite bacteriana é, na maioria das vezes, muito mais agressiva e dolorosa, necessitando de antibióticos e acompanhamento médico mais frequente.

 

  • Entrevista concedida à ACI-Famesp pelo médico oftalmologista Thiago Gonçalves Paula (CRM 149.007). Atenção: O conteúdo aqui publicado é meramente informativo e não substitui em nenhuma hipótese a relação médico e paciente. Se apresentar sintomas da doença procure imediatamente um serviço de saúde para consulta com especialista.