613

Atendimento multiprofissional é fundamental durante internação de pacientes com Covid-19

- Cadastrada em: 09/07/2020, Ronaldo Diegoli, Assessoria de Comunicação e Imprensa Famesp

No Hospital Estadual de Bauru (HEB), referência no tratamento da Covid-19 para a população dos 38 municípios do Departamento Regional de Saúde (DRS-VI) de Bauru, o  envolvimento da equipe multiprofissional tem sido fundamental no atendimento de pessoas com a doença desde o início da pandemia do Novo Coronavírus. Os serviços de fisioterapia e fonoadiologia do HEB, unidade estadual de saúde sob gestão da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), aplicam tratamentos  que minimizam riscos de problemas de saúde e até sequelas após a alta.

Fisioterapia em Covid-19

Nas hospitalizações por Covid-19, a fisioterapia é um grande aliado para acelerar o processo de recuperação do paciente, diminuindo a necessidade de medicamentos e o risco de sequelas após a internação. O objetivo é fortalecer a capacidade pulmonar nos casos mais graves. Quando um paciente grave de Covid-19 consegue sair da UTI, é preciso dar continuidade ao tratamento até que ele esteja pronto para ter alta e possa se recuperar em casa. De acordo com a Associação Brasileira de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva (Assobrafir), um paciente em estado crítico pode perder entre 17% e 30% de massa muscular nos 10 primeiros dias de uma internação sob cuidados intensivos. Nos casos mais graves de Covid-19, a permanência na UTI pode durar de duas a três semanas (ou mais). A fisioterapeuta do HEB, Ariane Aparecida Viana, trabalha em área específica da Covid-19 e relata alguns desses procedimentos e condutas no atendimento.

ARIANE APARECIDA VIANA - Atuação do fisioterapeuta na assistência de pacientes com Covid-19 em UTI

ARIANE APARECIDA VIANA - Perda e recuperação da massa muscular

Luciane Neves da Silva Santos, supervisora do Serviço de Reabilitação do HEB, explica as adequações dos fisioterapeutas do HEB para atendimento de Covid-19 nas Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) e também dos protocolos de tratamento. 

Como a intubação é um processo necessário em alguns pacientes diagnosticados com o novo coronavírus, a fonoaudiologia é uma das áreas requisitadas para auxiliar na recuperação dos pacientes. Quando são submetidos a respiradores artificiais ou traqueostomias, eles podem desenvolver problemas de voz. O profissional trabalha na reabilitação da respiração, fala e deglutição. O objetivo do fonoaudiólogo é definir os alimentos que são seguros para o paciente comer por via oral, reabilitar a função da deglutição, restaurar a qualidade vocal e melhorar a comunicação dos pacientes na fase de recuperação clínica. A fonoaudióloga do Hospital Estadual de Bauru, Adriana Gomes Jorge, relata os principais desafios profissionais durante este período de pandemia.

ADRIANA GOMES JORGE - cuidados redobrados e desafios

ADRIANA GOMES JORGE - Alimentação segura e intervenções em pacientes intubados

Foto - Adriana Gomes Jorge